Por que as dietas para emagrecimento falham?

04/nov/2021 | 0 Comentários

Quando você quer emagrecer e diz que está “fazendo dieta” alguém sempre terá uma dica ou palpite sobre algo que leu em uma revista ou blog. Essas orientações são de diversas ordens e percorrem caminhos entre chás, sopas, dietas restritivas e até formas de fazer jejum.

As dietas sempre envolvem restrição de um grupo de alimento por completo, de algum nutriente, de todos os alimentos por determinado tempo ou mudança de consistência como as dietas que permitem somente o consumo de líquidos. As restrições são diversas e há dietas que prometem emagrecimento com a exclusão de alimentos fontes de carboidrato ou com exclusão de gorduras, são chamadas de Low Carb e Low Fat.

Há dietas que prometem emagrecimento com a exclusão de alimentos que contêm glúten e lactose. Há quem diga que o jejum intermitente é a chave para o emagrecimento. Há quem diga que as frutas são o problema, há quem as considere a solução e por isso existe também a dieta frugívora, baseada somente no consumo de frutos. Há dietas que permitem somente o consumo de alimentos crus.

Os benefícios de consumir frutas diariamente

Há métodos de emagrecimento como vigilantes do peso que é baseado em redução de porções, dieta Dukan que é uma dieta com alto teor de proteínas e baixo teor de carboidratos.

Uma das características que essas dietas e métodos têm em comum é uma restrição importante de alimentos ou de período para comer. Diante de inúmeras dietas com promessas de emagrecimento através de diferentes estratégias, surgem os questionamentos: alguma delas realmente funciona? E por que é tão difícil mantê-las a longo prazo?

Leia também: Adoçantes naturais e artificiais são saudáveis?

Como as diferentes dietas funcionam para o emagrecimento

Imagine que você quer chegar a um lugar e existem vários caminhos. Há opção de ir por uma rodovia com pedágios e três ou quatro faixas para cada via, há uma estrada de terra que corta caminhos, mas está cheia de buracos, há trilhas longas e complicadas e há uma estrada com apenas uma faixa para cada via. Todos os caminhos te levam ao lugar que você quer chegar, mas com diferentes estratégias. As dietas restritivas para emagrecimento funcionam da mesma forma.

Para emagrecer, é preciso estar em déficit calórico, basicamente, é preciso comer menos energia do que você gasta. Por exemplo, se você gasta 2500kcal diariamente, você precisará comer menos do que isso para emagrecer, um déficit entre 250 e 500kcal seria razoável.

Entenda: Nenhum alimento engorda. Confira em nosso post.

Mas como as dietas operam para que você esteja em déficit calórico? Bem, a dieta Low Carb te deixará em restrição calórica através da redução de carboidratos na dieta. A dieta Low Fat pode resultar em restrição calórica através da diminuição de gorduras na dieta. O jejum intermitente reduzirá a ingestão de calorias através da redução do período de alimentação, ou seja, as horas do dia que você pode se alimentar.

As dietas mais restritivas, como as que permitem somente ingestão de líquidos ou somente frutas e até mesmo somente alimentos crus operam com a mesma estratégia, excluindo um ou mais grupos de alimentos e por consequência, pode haver restrição calórica.

O motivo pelo qual eu digo “pode haver” ao invés de afirmar que haverá restrição calórica é que essas estratégias sozinhas não garantem o emagrecimento, pois não garantem restrição calórica, a não ser que essa dieta seja planejada para resultar no déficit de calorias.

Por exemplo, no caso da dieta Low Carb, 1g de carboidrato possui 4kcal, em contrapartida, 1g de gordura apresenta 9kcal, se a dieta estiver substituindo a mesma quantidade de carboidratos por gorduras, provavelmente não haverá déficit calórico e o emagrecimento não acontecerá.

O motivo pelo qual as dietas falham

Mulher oferecendo salada

Uma das queixas de muitas pessoas que iniciam essas dietas restritivas que parecem “milagrosas” é não conseguir manter a dieta a longo prazo. De fato, a adesão às dietas restritivas é muito baixa, não conseguimos nos manter por longos períodos deixando de comer os alimentos que gostamos e que faziam parte da nossa rotina.

A chave para o sucesso no emagrecimento é a constância e a adesão. É preciso utilizar diversas ferramentas da nutrição para manter uma pessoa em restrição calórica de forma constante sem trazer prejuízos à saúde física e mental, e por isso é importante que a estratégia seja fácil de aderir.

Então, imagine que você dormirá hoje depois de um dia repleto de trabalho, você mal teve tempo de ir à academia, você terminou o dia após ter comido seu tão querido pão com manteiga e café com leite desjejum, um prato de macarrão à bolonhesa e salada crua no almoço, pois é uma preparação que você gosta muito, e arroz e feijão com um bife acebolado, alface e tomate no jantar.

Mas decidiu fazer tudo diferente no dia seguinte, depois de ler em um blog sobre dietas, você acredita que nada do que está fazendo é correto para o seu processo de emagrecimento.

Então, a partir de amanhã você passará a comer ovos cozidos e uma porção de morangos no desjejum, no seu café será colocada 1 colher de chá de óleo de coco, no almoço você irá comer um peito de frango grelhado com legumes no vapor e no jantar uma salada verde com ovo cozido.

Contudo, a dieta restritiva que você decidiu fazer só permitirá que você conquiste seu objetivo, caso você consiga fazer isso todos os dias de forma constante. Em algum momento seria insustentável.

Confira: Gorduras ruins: onde estão?

O processo de emagrecimento exige constância, para ter constância, é necessário aderir ao planejamento alimentar e para que você consiga aderir, o planejamento deve considerar suas preferências, características socioculturais e econômicas, tempo disponível para cozinhar e que sua vida social não deixará de existir.

Além disso, dependendo da magnitude da restrição de calorias e o tempo que está sendo colocada em prática, pode haver uma adaptação metabólica negativa e por consequência, supressão da taxa metabólica basal.

De forma simplificada, seu corpo iria suprimir alguns processos metabólicos considerados menos importantes para que conseguisse se manter em equilíbrio com a quantidade de calorias que você está consumindo. Portanto, se adaptaria ao seu estilo de vida extremamente restritivo e em algum momento você iria estagnar o seu processo de emagrecimento.

Sendo assim, as dietas restritivas não somente falham, porque nós falhamos na tentativa de mantê-las, mas também podem trazer prejuízos à saúde.

Mensagem final

O emagrecimento acontece quando se está em restrição calórica, há diversas estratégias nutricionais que podem ser utilizadas para resultar na restrição calórica. Porém, da mesma forma que o ganho de peso não aconteceu do dia para a noite, a perda de peso também não acontecerá, o processo de emagrecimento requer tempo e constância.

Contudo, dietas extremamente restritivas e tidas como milagrosas não são mantidas a longo prazo pela dificuldade de adesão e por não considerar fatores individuais como preferências, características socioculturais, biológicas e econômicas. Por consequência da dificuldade de mantê-las de forma constante, as dietas extremamente restritivas falham.

Texto escrito por Gabriella Rocha Pegorin, nutricionista e mestra em Ciências da Saúde pela UNIFESP – Universidade Federal de São Paulo

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.