O que é um produto Clean Label?

09/set/2021 | 0 Comentários

Se você é do tipo de pessoa que consulta os rótulos das embalagens para saber o que contém no produto, saiba que o conceito clean label veio para te ajudar.

Trazendo para o português, podemos traduzir clean label por “rótulo limpo”. Isso significa que o rótulo vai ter uma descrição clara e objetiva do que contém no produto.

Além das pessoas que analisam as calorias – devido a dietas – existe um grupo de consumidores que têm certas restrições alimentares, como os diabéticos, celíacos, intolerantes a lactose ou aqueles que optaram por seguirem tais condutas, como os vegetarianos e os veganos.

Portanto, o clean label não veio apenas para facilitar a informação, mas para ajudar esse tipo de público, e também, a diminuir o consumo de alimentos processados.

E com esse texto, queremos esclarecer para você como se beneficiar dos produtos clean label e tudo o que você precisa saber sobre esse movimento.

O que significa o conceito Clean Label?

Segundo uma pesquisa internacional, realizada pela Euromonitor, o Brasil está em 4º lugar no ranking global de alimentação saudável. Porém, apesar do brasileiro se preocupar com a alimentação, o clean label ainda não é tão popular por aqui e apenas algumas empresas brasileiras seguiram o clean label em seus produtos, como a Nutty Friends.

Entretanto, o conceito é muito conhecido nos EUA e na Europa, surgiu pela procura dos consumidores por alimentos menos artificiais e mais parecidos com a sua forma natural. Ou seja, alimentos sem aditivos ou ingredientes químicos.

A ideia é que o rótulo apresente os componentes de forma clara, e não usem nomes técnicos que possam confundir o consumidor ou não informá-lo, como é o caso da dextrina de malte. Pessoas celíacas que não podem consumir glúten, tem que deixar a dextrina de malte de lado, porque ela também causa reação.

Muitas das vezes, nomes assim ficam em letras bem miúdas, são representados por siglas e até mesmo podem estar em outro idioma. Geralmente, produtos clean label possuem poucos ingredientes e os que contém são conhecidos pelo público.

Para substituir os aditivos químicos que são acusados de causar danos ao organismo e até mesmo desenvolver doenças crônicas, tem se utilizado no lugar substâncias naturais.

Contudo, não há motivo para crucificar os alimentos industrializados, pois essas substâncias estão presentes em quantidade bem pequenas. O que não se pode fazer é exagerar no consumo de industrializados e ultraprocessados para que não gere problemas na saúde.

Principais características de produtos clean label

A principal característica de um produto clean label é a clareza com que as informações são passadas nos rótulos e embalagens. O objetivo é que os ingredientes sejam o mais próximo daqueles que encontramos em nossa cozinha.

Entretanto, outras características estão presentes no conceito clean label, como:

  • Produto 100% natural: Tem como objetivo priorizar componentes naturais. Por exemplo, no caso de sucos prontos, ao invés de usar adoçantes como o xarope de milho é possível utilizar suco concentrado de maçã. O clean label se destaca também por não conter alergênicos (como lactose), corantes, aromatizantes, conservantes ou saborizadores artificiais.

 

  • Lista de ingredientes curta: Quanto menor a lista, menor a probabilidade de conter muito conservante e aditivos nela. Substituindo o conteúdo artificial por itens naturais, os produtos tendem a ter mais nutrientes, como vitaminas e proteínas. Além disso, produtos clean label podem ter em menor quantidade – ou nada – de gordura trans, açúcares, glúten, e assim, garantir uma nutrição mais completa para a sua saúde.

 

  • Minimamente processados: Essa com certeza é a motivação do movimento clean label, alimentos que sejam pouco transformados, para que chegue ao consumidor o mais próximo do natural possível, para assim, evitar o consumo de alimentos processados e trazer mais saúde a população.

Podemos acrescentar ao conceito clean label, o fator da sustentabilidade e a preocupação com o meio ambiente. Isso se deve pelo fato de que os produtos são produzidos sem qualquer tipo de agrotóxico, componentes transgênicos ou adubo químico. O conceito também se estende a embalagem, para que esta não agrida o meio ambiente.

Portanto o clean label envolve várias ideologias. Para que o alimento não seja apenas saudável, mas também que seja sustentável e ajude a população como um todo.

+Leia também: Perder peso: pasta de amendoim para quem quer emagrecer

Como saber se o produto é clean label?

Como saber se o produto é clean label

Ainda não existe uma regulamentação por meio da ANVISA ou um selo que identifique os produtos clean label no Brasil, entretanto não é difícil descobrir quais produtos seguem o conceito.

Para isso é preciso checar a quantidade de ingredientes e a qualidade deles presentes no rótulo. Pois pode acontecer de um produto ter poucos itens, mas entre eles conter açúcar, gordura trans e conservantes.

Outro fator determinante para identificar produtos com o rótulo limpo é a ligação com ingredientes orgânicos e integrais, porém nem todo orgânico vem com um rótulo de fácil entendimento e nem todos os clean labels são orgânicos e integrais.

Fica a serviço das empresas aderirem ao clean label para que os consumidores saibam o que estão colocando no carrinho, oferecendo assim, produtos com mais qualidade.

Benefícios dos produtos clean label

O principal benefício é diminuir o consumo de produtos altamente industrializados. A substituição de produtos químicos por ingredientes naturais garante uma vida mais saudável.

Além disso, a proposta clean label é muito ampla. Um produto que leva esse conceito adiante, tem que ter em mente que os fornecedores também devem seguir as normas de não usarem agrotóxico em suas mercadorias.

Portanto, o clean label não está somente nos produtos, mas em todos os ingredientes e fornecedores terceiros que estão envolvidos no processo de fabricação dessas mercadorias.

Mais alguns benefícios de produtos Clean Label:

  • Mais segurança para as pessoas que possuem alergia, intolerância ou restrições alimentares;
  • Redução de açúcar, sal, gorduras, conservantes e outras substâncias prejudiciais;
  • Contribui para o meio ambiente, sendo um produto sustentável que se atenta aos recursos naturais;
  • Diminuição de consumo de alimentos industrializados e de calorias vazias;
  • Redução de riscos de contrair doenças relacionadas à má alimentação;
  • Maior ingestão de alimentos naturais.

+Leia também: Quais são as leguminosas e seus principais benefícios?

O clean label e as indústrias de alimentos

Um estudo realizado por uma organização ambiental, mostrou que 88% dos consumidores brasileiros leem os rótulos dos produtos e estão atentos às medidas nutricionais.

Esses consumidores têm preferido consumir alimentos com vitaminas e minerais, sem ter que recorrer a suplementos, a fim de repor esses nutrientes.

Outro fator observado neste público é que o maior atrativo era a exclusão de elementos e não a inclusão. Logo, o consumidor tem estado atento às alterações feitas nos alimentos, principalmente na retirada de ingredientes desnecessários.

O que confirma esse interesse do público é a expansão do mercado de produtos naturais que tem movimentado 150 bilhões de dólares no ano. Outro dado importante mostra que 75% dos consumidores pagariam a mais por produtos mais saudáveis e com qualidade clean label.

Mas como implementar o conceito clean label?

Muitas empresas nos EUA e na Europa começaram a praticar o clean label em seus comércios. Alguns mercados, por exemplo, criaram uma lista de substâncias e aditivos que não poderiam estar presentes nos produtos comercializados.

Para ter uma ideia, uma empresa de embutidos que utiliza o conceito clean label traz em seu rótulo cerca de 12 ingredientes, uma empresa do mesmo segmento – fora desse conceito – contém 32 ingredientes, nos quais muitos são aditivos e substâncias artificiais.

Portanto, para se adequar às condições dos consumidores, as indústrias têm substituído alguns ingredientes, como foi o caso de uma marca de macarrão com queijo nos Estados Unidos. Sem contar aos consumidores, a empresa removeu os corantes artificiais e adicionou páprica e cúrcuma para dar o tom alaranjado da receita. Seguiram vendendo o produto e não foi notado nenhuma mudança nas vendas ou avaliações do produto.

Sendo assim, cabe às empresas contratarem profissionais da produção de alimentos para desenvolverem produtos e alternativas que atendam aos requisitos do clean label. Lembrando sempre que as características sensoriais precisam ser as mesmas, como o sabor e a textura.

Por isso as indústrias precisam se atentar a algumas observações na hora de produzir produtos clean label, como:

  • Cultivo dos ingredientes;
  • Bem-estar dos animais;
  • Fornecedores de qualidade;
  • Atenção ao prazo de validade;
  • Controle microbiológico;
  • Etapas de transporte;
  • Armazenamento dos produtos;
  • Bem-estar dos trabalhadores;
  • Meio ambiente e sustentabilidade.

Já para os rótulos é preciso utilizar a transparência das informações. Usando nomes comuns com o objetivo de ser o mais acessível possível.

Ao invés de utilizar nomes como “tocoferol” ou “tocotrienol”, deve-se utilizar o popular “vitamina E”, por exemplo.

E essas são só algumas das diretrizes que as empresas alimentícias devem seguir na hora de implementar o clean label em seus produtos.

Conclusão sobre o conceito clean label

O conceito clean label não se resume apenas a uma etiqueta com poucas informações, mas sim com a qualidade dos produtos que estão no rótulo e todo o seu processo até chegar à mesa do consumidor.

Qualquer produto pode ser enquadrado no clean label como bebidas, carnes, enlatados, iogurtes, pasta de amendoim, entre muitos outros. Basta a empresa ajustar a produção das mercadorias para que se adeque ao conceito.

O consumidor tem buscado cada vez mais transparência por parte das marcas. Produtos naturais e com composições simples, têm atraído os clientes.

A procura por alimentos saudáveis vem atingindo outros níveis, percebemos isso quando caminhamos pelo mercado e notamos um setor só para alimentos naturais. E agora vem o clean label fazendo parte dessa mudança.

E você? Já conhecia o conceito clean label? Conta pra gente nos comentários!

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *